CLICK HERE TO TRANSLATE THE BLOG TO YOUR LANGUAGE!

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Considerações iniciais sobre um estudo de Feng Shui.



Como se sabe o Feng Shui é um estudo abrangente das condições energéticas de um imóvel e de sua interação com seus habitantes, estudo esse que vem sendo desenvolvido há milênios pelos chineses, desde a invenção da bússola.
Um estudo completo de Feng Shui para um imóvel leva em conta diversos fatores, a saber:
1.   Fator geodésico – refere-se ao posicionamento do imóvel com relação ao Norte Magnético. Através da bússola é possível determinar esse posicionamento. Também se pode conhecê-lo através de  GPS (via satélites) ou do Google Earth, nesse caso considerando-se adicionalmente a declinação magnética (diferença entre Norte Verdadeiro e Norte Magnético) no local e no tempo.
2.   Fator temporal – Na construção do imóvel, há o momento a sua cobertura, pode-se dizer, de seu “nascimento”. É o momento no qual ele passa a ter vida própria, quando se fundem “a energia do céu com a energia da terra”. Nesse fator é considerado um ciclo básico de 20 anos, sendo que, a cada ano há uma variação a ser considerada para manutenção do imóvel nas suas melhores condições.
3.  Fator dinâmico – a forma como o imóvel é utilizado, isto é, a intensidade com que seus habitantes se movimentam e o frequentam  determina a via de acesso das energias universais que exercem influências sobre ele.
4.   Fator pessoal – trata da interação entre as energias universais que influenciam o imóvel e aquelas que são exercidas sobre seus habitantes.
5.   Fator circunstancial – refere-se às facilidades e dificuldades de acesso que as energias vitais encontram em sua tarefa de influenciar positiva ou negativamente cada setor ou área da edificação. A otimização desse fator se obtém através das formas, cores,  natureza e posicionamento das peças de utilização e decoração, tais como tapetes, fontes, iluminação, cores das paredes etc.

No relatório preliminar, estão considerados somente os dois primeiros fatores, quais sejam, o da posição geodésica do imóvel e de seu período de construção. Eles são suficientes para se conhecer o potencial energético da construção. Normalmente esse relatório preliminar é usado quando o cliente vai adquirir um novo imóvel e precisa saber se ele é bom. Ele é feito quantas vezes for necessário, até que se encontre um ótimo imóvel. O relatório completo, então, estabelecerá os outros detalhes para utilização plena e saudável das energias disponíveis.