CLICK HERE TO TRANSLATE THE BLOG TO YOUR LANGUAGE!

sábado, 5 de junho de 2010

Água e Feng Shui, mais uma vez.

O Feng Shui fundamenta-se na observação da Natureza e na experimentação combinando elementos de diversas áreas de conhecimento (matemática, física, arquitetura, astronomia) para avaliar o posicionamento das edificações em relação às influências naturais sutis e o resultado desta influência sobre os seres humanos. Os praticantes de Feng Shui reconhecem que cada edificação possui sua própria “vibração” e está sujeita a várias influências do ambiente que a circunda.
A essência do Fengshui é o armazenamento do “sopro vital” que movimenta a Natureza, traz vitalidade ao Homem, movimento à água. É o espírito cósmico que vitaliza todas as coisas, ao qual os Chineses chamam de Qi (pronuncia-se tchi). Está presente no interior de estruturas construídas, residências, templos, escolas, locais de trabalho e pode ser direcionado de modo a proporcionar saúde e prosperidade aos ocupantes. Isto pode ser feito com movimento através de elementos externos à edificação como ruas, passagens, caminhos, acessos, rios, córregos - ou pela manipulação de alinhamentos (magnéticos), elementos, cores, objetos. A teoria direciona particular atenção ao posicionamento da água: rios, lagos, córregos, piscina etc.
O qi falado no Fengshui é o mesmo que os acupunturistas ativam com as agulhas e que os praticantes de artes marciais direcionam para partes do corpo a fim de realizar proezas como quebrar blocos de pedra com as mãos nuas.
A importância da água para o Feng Shui começa a ser demonstrada através do seu próprio nome: feng = vento, shui=água. Vento e água são importantes para a saúde. De fato, nós somos feitos de “vento e água”. Sessenta por cento do peso de nosso corpo é composto de fluidos que contém água. Durante o dia, inalamos e exalamos um grande volume de “vento”. Se formos privados de ventos, morreremos em minutos. Se formos privados de água, morreremos em alguns dias. Nenhuma outra substância, nem mesmo o alimento, é tão essencial.
Através da observação da Natureza, os antigos sábios Chineses deduziram que estas duas substâncias carregam o sopro vital - Qi. Não apenas isso, eles compõem todo ecossistema existente em nosso planeta. Somos “banhados” interna e externamente por eles. Vivemos em um “oceano” de ar (a atmosfera) que respiramos e cai sobre a superfície terrestre na forma de chuva.
Por quê nos sentimos tão bem após um banho? Certamente devido a muito mais do que simplesmente a remoção de uma microscópica camada de sujeira. A água escorregando sobre a nossa pele permite o ajuste de pontos sensíveis do corpo (meridianos para a Medicina Tradicional Chinesa, chakras para a Medicina Ayuvérdica) equilibrando nosso Qi.
Feng Shui estuda a qualidade do Qi que a água e o vento carregam, e como isso pode ser modificado em nossa vantagem.Um dos livros mais importantes para o praticante de Fengshui é o Shui Long Jing - Clássico Dragão da Água, que apresenta diversos padrões dos cursos d´água e como localizar os melhores locais para as edificações.
Parte da teoria que fundamenta o Feng Shui afirma que a água carrega o qi, e se o qi puder ser levado para o interior de uma edificação através de rios ou córregos e puder ser armazenado lá, então haverá saúde e prosperidade. Por outro lado, se a forma e a direção dos corpos d’água carregarem o qi para longe do imóvel, então a saúde e a prosperidade estarão prejudicadas.
Para ter acesso a essas informações, o consultor de Feng Shui se utiliza um “aparelho” - uma bússola magnética especialmente desenhada chamada Luopan, e de cálculos matemáticos que levam em consideração a época na qual a edificação foi construída.
Em Feng Shui, água está relacionada à prosperidade - na antiga China como nos dias atuais rios, mares e oceanos são os caminhos por onde circulam bens e mercadorias. Um dos pontos de uma consulta é o correto posicionamento de fontes e aquários no interior e exterior do imóvel a fim de incrementar a possibilidade de que bons negócios e bons trabalhos sejam realizados.
Mestre Joseph Yu esclarece: O Feng Shui é o estudo sobre como proteger um local do ataque de ventos fortes e como nutrí-lo com águas gentis. Para evitar que o qi seja disperso pelo vento, precisamos da presença de montanhas. Para trazer prosperidade a um local precisamos da presença de água. Um espaço aberto é considerado água virtual., qualquer objeto grande é considerado montanha virtual. Em uma casa, as paredes são consideradas montanhas enquanto que portas, janelas e corredores são considerados água. Uma casa possui bom Feng Shui se portas, janelas e corredores são bem projetados e estão apropriadamente posicionados.
É uma boa idéia construir uma casa num local que permita que a porta principal fique direcionada para a água. Isso é o que a Escola da Forma ensina. Faz sentido, mas é apenas parte da história.
Água em movimento ativa certos tipos de Qi, tanto no interior quanto no exterior do imóvel. O objetivo dessa “ativação” é proporcionar saúde e prosperidade aos usuários. Este trabalho deve ser realizado por um profissional capacitado que conheça o uso da bússola e saiba fazer os cálculos necessários. A prática profissional do Feng Shui busca evitar a utilização da “intuição”. Profissionais de Feng Shui não são adivinhos ou curandeiros.
Um exemplo claro de como a mudança de elementos arquitetônicos pode influenciar a prosperidade de um local pode ser visto na nova utilização dos galpões na orla de Belém. Isso permitiu que o Qi trazido pelo rio fluísse adequadamente para a cidade trazendo um novo sopro de prosperidade para aquela região em particular e para a cidade como um todo. Antes os galpões eram como montanhas que bloqueavam o fluxo do Qi. Apesar de guardar mercadorias, o Qi ficava parado, estagnado naquele local. Agora flui através dos novos caminhos criados e da circulação de pessoas e veículos atraindo novos negócios. (veja o site http://www.estacaodasdocas.com.br )

Ana Cristina Iudice e Riceles Araújo Costa