CLICK HERE TO TRANSLATE THE BLOG TO YOUR LANGUAGE!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Feng Shui Tradicional ou Chapéu Preto?

Sempre há uma curiosidade dos clientes a respeito da diferença entre o Feng Shui do Chapéu Preto, o mais comum nas revistas, e o Feng Shui Tradicional. Nossa amiga a Arq. Aline Mendes dá a explicação a seguir.

Feng Shui Tradicional

Escola do Chapéu Preto

Tradição de mais de 3.000 anos na China. Baseado em conhecimentos metafísicos milenares: I Ching, Taoísmo, astronomia e astrologia, calendários, magnetismo.

Criada pelo monge Thomas Lin Yun, nos anos 60. Lin Yun é o fundador da Seita do Chapéu Preto do Budismo Tântrico Tibetano, uma vertente do budismo não submetida ao Dalai Lama.

Ba Guá utilizado como ferramenta de interpretação, formado por trigramas e suas ricas associações a: números, direções, elementos, acidentes geográficos, membros da família, cores, partes do corpo, sabores, entre tantos outros.

Ba Guá simplificado, em que a cada direção corresponde uma área da vida: carreira, família, fama, etc.

Posicionamento do Ba Guá seguindo a orientação dos pontos cardeais, usado como diagnóstico da energia básica, com a qual se relacionam as energias mais específicas de cada construção.

Posicionamento do Ba Guá sempre seguindo o alinhamento da porta de entrada, independentemente da direção dos pontos cardeais.

Considera o fator tempo, através dos diferentes ciclos energéticos, na análise. Cada imóvel possui um padrão energético específico.

Desconsidera qualquer variação de padrões energéticos ao longo do tempo. O padrão de distribuição das energias é fixo.

Classifica os objetos, do próprio local ou novos objetos, segundo seus padrões energéticos - teoria dos 5 Elementos - e os utiliza para equilibrar o fluxo do Chi.

Utiliza objetos de cura pré-determinados, como bolas de cristal, sinos de vento, espelhos, baguás, flautas, vasos chineses, envelopes vermelhos.

Baseado em conceitos filosóficos e metafísicos, sem caráter religioso.

Utiliza cerimônias de limpeza e cura provenientes do Budismo Tântrico Tibetano.

Analisa as energias do Universo, visando o posicionamento adequado no tempo-espaço. Visão holística de integração do Homem com a Natureza e o Universo.

Utiliza a força do pensamento para moldar a energia. Homem como centro de influência máxima em relação às energias do Universo.